Quarta-feira, 27 de Fevereiro de 2008

PAPOILAS

PAPOILAS

 

Naquele tempo as papoilas faziam-me companhia e o vento embalava-me à tardinha entre o sol pôr. E, as papoilas cresciam.

A luz quieta cansava-me os olhos e dentro de mim os sonhos dançavam o bailado da vida, da ilusão, do encantamento.

As árvores solitárias iluminavam a quietude dos caminhos.

Era a esperança de viver, era a esperança e a ternura dum pôr-do-sol.

E, o caminho era curto.

Sobre a minha pele um universo de fantasia, os olhos cheios dum silencio transparente e unico. Lentamente, o sonho desfazia-se na beleza do meu corpo enlaçado pela dança duma aventura ainda por viver.

Lá, deixei tudo, na hora da partida, choro, lágrimas que nunca secaram, pensei ser livre e existir, mas foi um sonho confuso no limiar da felicidade. A viagem foi longa, com pétalas atapetando o meu caminho e espinhos na madrugada em que se desfez a ilusão. Palavras, solidão, um bailado de tudo e nada. Máscaras, ilusão, ah! Tanta ilusão em rios que descargam egoismo, e a falsidade do ser humano.

Escrevo na relva da tarde, onde por vezes me encontro, e me delicio com o aroma doutra felicidade.

Na tarde branca eu sou feliz e vivo contigo dentro da alma.

Inconformismo? Talvez! Doutros amores, senão o teu, que floresce a cada sorriso que brota duma fonte de emoções que faz companhia a tantas ilusões e dias perdidos, na janela dum viver absolutamente urgente.

É urgente o amor num por-do-sol, duma paisagem de aromas e olhares deste sonho brando e terno.

Têm dias as palavras, e hoje elas estão cobertas de fantasia, sonhos, é fácil transportar os sonhos, vivê-los é algo complexo, decifravel com reflexos de mistérios que poderiamos não ocultar, mas a força de que se vestem, tomam forças e cores incontroláveis neste universo escuro, e que por vezes são, talvez, uma restea de sol.

Não sei porque utilizo palavras para me sentir isolada, é um direito e uma forma de ocultar o ruido e a maldade dum silencio, que o mundo nos impôe.                  

 

27 fevº 2008                          Image Hosted by ImageShack.us

Amália LOPES                           

 

 

publicado por petalasdemim às 21:38

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.links

.Março 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. PAIXÃO NA PONTA DOS DEDOS...

. HÁ SEMPRE UMA ROSA NO NOS...

. HÁ PAZ NO TEU SORRISO...

. SÃO A ETERNA TERNURINHA.....

. meus bichaninhos amados

. ...

. LINDINHOOOOOOOOO

. MOMENTOS PARA ESQUECER OU...

. A BORBOLETA E A FLOR...

. UM BEIJO DENTRO DE MIM

. PARA SI MÃE AMADA

. MINHA MÃE

. SAUDADE DE ALGUEM...

. POESIA EM FLOR

. O CHAPEU DA SOFIA

. DIAS DE AMOR

. NÃO ADIANTA LAMENTAÇÕES.....

. POEMA MEIAS PRETAS

. A PARAGEM DOS AMANTES

. SONHOS...APENAS ISSO !!!!...

.arquivos

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

.links

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds